A Fundação

A Fundação Rui Osório de Castro é constituída em Março de 2009 e reconhecida como Instituição Particular de Solidariedade Social e de Utilidade Pública em Junho de 2010, tendo como objectivo principal apoiar e proteger as crianças com cancro, bem como promover o seu bem-estar físico e emocional. 

Concentrando a sua actuação na área informativa e científica, a Fundação definiu como projectos principais: a promoção de um portal de informação online sobre oncologia pediátrica (PIPOP), a edição de publicações sobre a temática e a contribuição para o avanço da investigação científica nesta área.

A título complementar, a Fundação desenvolve ainda acções de carácter diverso, nomeadamente eventos de angariação de fundos e campanhas de sensibilização onde, numa vertente mais lúdica, procuramos integrar as crianças com doença oncológica e respectivas famílias. 

A Fundação Rui Osório de Castro é criada por Maria Karla Osório de Castro e seus filhos, Catarina e Filipe, em memória e homenagem a Rui Osório de Castro, Marido e Pai, que faleceu a 1 de Novembro de 2006, devido a um cancro.

Rui Osório de Castro 

Rui Osório de Castro

Rui Osório de Castro nasceu no Porto em 1950. Com 2 anos de idade foi viver para Moçambique, onde permaneceu 9 anos, até ingressar no Colégio Militar de Lisboa, no ano lectivo de 1961. Regressa depois a Moçambique e em 1974 licencia-se em engenharia civil, na Universidade de Lourenço Marques.

Principia a sua actividade profissional nos Caminhos-de-Ferro e Transportes de Moçambique e pouco depois torna-se Director de Obras de Arte Especiais na empresa de Construções Azevedo Campos. Em finais de 1975, e ainda em Moçambique, casa-se com Maria Karla Bragança Belard Rebelo e deste casamento nascem, já em Lisboa, os dois filhos, Filipe e Catarina. 

De regresso a Portugal, em 1977, torna-se quadro da Sociedade de Construções Soares da Costa, desempenhando as funções de Chefe de Divisão de Obras, Director da Delegação do Algarve e Vice-Presidente da Direcção Geral da mesma sociedade, com sede no Porto. Em 1989 vem a integrar o Conselho de Administração da Engil, enquanto Administrador Executivo. Um ano mais tarde, assume o cargo de Presidente do Conselho de Administração da Sociedade de Construções H.Hagen, empresa que vem posteriormente a adquirir.

A sua morte inesperada em 2006 não lhe permite realizar os sonhos e os muitos projectos que tinha em mente.

A Fundação